domingo, 7 de junho de 2015

Caras Novas: Joywave


Entendi o que o termo indie dance significa em 2015 depois de ouvir o debut do Joywave, How Do You Feel Now?, lançado no final de Abril. Mas o que tem de indie um álbum que saiu pela mesma gravadora (Hollywood Records) de Selena Gomez e Demi Lovato? Bom, dá uma olhada no que o Beatport considera indie dance e você vai sacar que o Joywave tem muito mais a ver com aquela cena britânica do começo dos 90 (Madchester) do que o site de venda de música online imagina. A diferença é que em How Do You Feel Now? não há resquício de fusões de rock sessentista com house ou batidinhas funky drummer. O que o quinteto nova-iorquino faz é muito mais enérgico, cheio de riffs poderosos de guitarra ("Now", "Somebody New") e sintetizador ("Parade"). É um Phoenix adrenalizado, um Hot Chip com punch.

Entre as muitas coisas que chamam pra pista no som do Joywave, está sua doce (culpa dos vocais do bigodudo Daniel Armbruster) incursão pela house music, como em "In Clover", que emula aquele timbre de órgão que tornou Robin S famosa no começo dos 90:



"Carry Me" é outra faixa com bom potencial para as danceterias, uma mistura exata de rock e eletrônica com refrão pop e baixo totalmente New Order, que poderia ter saído tanto do catálogo da DFA quanto da Factory:

Algumas escorregadas não comprometem o disco como um todo, como quando a banda grava pop rock genérico ("Nice House") ou excede o uso de ingredientes, resultando em coisas indefiníveis como "Destruction" ou "Tongues":



How Do You Feel Now? encerra com um trip-hop apocalíptico ("Bad Dreams") e deixa a impressão que o Joywave é pop e diversificado o suficiente pra não ficar preso à um rótulo limitador como o indie dance. Dá pra sonhar em voar mais alto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Spam, get outta here!