sexta-feira, 7 de junho de 2013

Sexta Feira Bagaceira: Ultraje A Rigor


O Ultraje a Rigor foi ímpar. Cínicos, debochados, bem humorados - e extremamente espertos. Tudo obra da cabeça privilegiada de Roger Rocha Moreira, um paulistano de olhar aguçado e pena afiada. Suas letras deixaram uma marca indelével no pop nacional, desde o primeiro compacto Inútil / Mim Quer Tocar - censurado durante alguns meses de 1983, até ser finalmente liberado para as rádios e disponibilizado nas lojas.



Eu Me Amo / Rebelde Sem Causa saiu no ano seguinte. O lado A "Eu Me Amo" é uma impagável ode à autoestima com a já habitual gaiatice de Roger tecendo versos como "Eu que queria tanto ter alguém / Agora eu sei sem mim eu não sou ninguém / Longe de mim nada mais faz sentido / Pra toda vida eu quero estar comigo". Genial. Do outro lado, a não menos brilhante "Rebelde Sem Causa". A letra narra de forma hilária a situação de um adolescente classe média alta, que simplesmente não tem do que reclamar: é paparicado pelos pais a ponto de ganhar uma guitarra por que a mãe acha bom que ele caia na farra ou ser presenteado com um carro pelo pai, porque "filho homem tem que ter um carro seu". Então, de que forma amadurecer como um cara normal sem questionar nada do que te rodeia? Não sei se a história é autobiográfica, mas Roger colocou tudo com uma precisão absurda, equilibrando perfeitamente o bom humor com as incertezas que vão aparecendo na vida de quem começa a ver os pelos crescendo pelo corpo - mesmo que Roger já estivesse beirando os 30 anos em 1984.

"Rebelde Sem Causa" foi impecavelmente produzida por Pena Schmidt e Liminha - os principais artesãos do pop brasileiro dos anos 80. A dupla explorou todos os recursos que dispunha na época para gerar uma faixa pop bem ao gosto da new wave de então: efeitos (a moto arrancando na abertura), baterias eletrônicas, a mixagem precisa do baixo e o timbre limpo de guitarra em um riff palhetado memorável. Apesar do contratempo da caixa na batida sincopada quebrando o andamento, foi hit nas danceterias. E nada me tira da cabeça que a bateria dos 15 primeiros segundos da introdução foi inspirada nos 30 segundos finais de "Jumping Someone Elses Train" do The Cure.

As quatro faixas dos dois primeiros compactos do Ultraje foram incluídas no álbum de estreia da banda, Nós Vamos Invadir Sua Praia (1985), colocando o LP numa posição confortável e fadado ao sucesso. Assim foi: nove das onze faixas foram tocadas à exaustão e o debut passou de 250 mil cópias vendidas.

O Ultraje hoje só tem Roger como membro original e está empregado como banda de apoio do melhor talk show da TV brasileira atualmente, o Agora é Tarde de Danilo Gentili, exibido na TV Bandeirantes.

"Rebelde Sem Causa": rock com QI acima de 170.


2 comentários:

  1. Respostas
    1. Pois é. Raimundos, Mamonas, Pato Fu... teve muita gente influenciada pela trupe do Roger. Bandaça.

      Excluir

Spam, get outta here!