sábado, 18 de maio de 2013

Tropeçando Nas Próprias Botas

Boots: muita pose, pouco som.
 Don't believe the hype. Era fogo de palha mesmo. Hands (2009), o álbum de estreia de Little Boots, já não tinha sido lá grande coisa - apesar do falatório e paparicação da imprensa inglesa - e esse segundo também não vai mudar muito a situação.

De gestação difícil (foi gravado no longo período 2010-2013), Nocturnes passou pelas mãos de cinco produtores, entre eles Andrew Butler (Hercules and Love Affair) e James Ford (Simian Mobile Disco). Mas nem eles tiraram o disco da condição de pop sem personalidade, repetitivo e monótono. A maioria das dez faixas segue pela trilha electro house, como a lamentável "Broken Record", primeiro single do álbum. Além de uma base manjada e sem graça, a letra é um primor:
"I hear your voice like a broken record / Saying my name every second / Voice like a broken record / In my heart I feel it echo". Com esse talento pra rimar, Victoria Hesketh poderia compor pro One Direction. Os fãs também parecem ter percebido o tropeço de Little Boots (com o perdão do trocadilho intencional): na Inglaterra, Nocturnes vendeu pouco mais de 2,000 cópias na primeira semana após o lançamento.

"Broken Record": o pior refrão do ano.

3 comentários:

  1. Finalmente estão começando a perceber a farsa. Isso é muito ruim!

    ResponderExcluir
  2. Só consigo ouvir Stuck on Repeat dela.
    one hit wonder mesmo

    ResponderExcluir

Spam, get outta here!